quinta-feira, 31 de maio de 2007

Caio Fernando Abreu



...C.A.I.O..F.E.R.N.A.N.D.O..A.B.R.E.U...
.
.
"Então, que seja doce. Repito todas as manhãs, ao abrir as janelas para deixar entrar o sol ou cinza dos dias, bem assim: que seja doce. Quando há sol, e esse sol bate na minha cara amassada do sono ou da insônia, contemplando as partículas de poeira soltas no ar, feito um pequeno universo, repito sete vezes para dar sorte: que seja doce que seja doce que seja doce e assim por diante. Mas, se alguém me perguntasse o que deverá ser doce, talvez não saiba responder. Tudo é tão vago como se fosse nada"
.
.
- Os Dragões não conhecem o paraíso -
.
.
Caio 3D
.
.
.
.
.


"Não se preocupe, não vou tomar nenhuma medida drástica, a não ser continuar, tem coisa mais auto destrutiva do que insistir sem fé nenhuma?"
.
.


"Te desejo uma fé enorme, em qualquer coisa, não importa o quê, como aquela fé que a gente teve um dia, me deseja também uma coisa bem bonita, uma coisa qualquer maravilhosa, que me faça acreditar em tudo de novo, que nos faça acreditar em tudo outra vez, que me leve para longe da minha boca este gosto podre de fracasso"
.
.
- Os Sobreviventes -
.
.
Morangos Mofados
.
.
.
.
.


"Oh Deus, como é triste lembrar do bonito que algo ou alguém foram quando esse bonito começa a se deteriorar irremediavelmente"
.
.
- Para ler ao som de Vinicus de Moraes -
.
.
Pequenas Epifanias
.
.
.
.
.


"Era isso - aquela outra vida, inesperadamente misturada à minha, olhando a minha vida opaca vida com os mesmos olhos atentos que eu a olhava: uma pequena epifania. Em seguida vieram o tempo, a distância, a poeira soprando. Mas eu trouxe de lá a memória de qualquer coisa macia que tem me alimentado nestes dias seguintes de ausência e fome. Sobretudo à noite, aos domingos"
.
.


"Atrás das janelas, retomo esse momento de mel e sangue que Deus colocou tão rápido, e com tanta delicadeza, frente aos meus olhos há tempo incapazes de ver uma possibilidade de amor. Curvo a cabeça, agradecido. E se estendo a mão, no meio da poeira de dentro de mim, posso tocar também em outra coisa. Essa pequena epifania. Com corpo e face. Que recomponho devagar, traço a traço, quando estou só e tenho medo. Sorrio, então. E quase paro de sentir fome"
.
.


"Há alguns dias, Deus - ou isso que chamamos assim, tão descuidadamente, de Deus -, enviou-me certo presente ambíguo: uma possibilidade de amor. Ou disso que chamamos, também com descuido e alguma pressa, de amor. E você sabe a que me refiro. Antes que pudesse me assustar e, depois do susto, hesitar entre ir ou não ir, querer ou não querer - eu já estava lá dentro. E estar dentro daquilo era bom"
.
.
- Pequenas Epifanias -
.
.
Pequenas Epifanias
.
.
.
.
.
"Mudei, embora continue o mesmo. Sei que você compreende"
.
.
- Última carta para além dos muros -
.
.
Pequenas Epifanias

7 comentários:

Susanna disse...

Maravilhosas as seleções dos trechos!

Bruna Berri disse...

Eu simplismente sou viciada em seus trechos. Adoráveis!

Evelin disse...

As palavras de Caio pulsam em mim a cada hora do dia!!!
Parabéns pela predileção!

Um beijo


www.loucuraextremalucidez@wordpress.com

Aliane disse...

Amei o post! E as pequenas epifanias *-* Nossa, arrasou! ''para ouvir ao som de Vinícius de Moraes'' mesmo. ;}

EMANUELA disse...

nossa que merda

anareis disse...

Querida(o) amiga(o). Estou fazendo uma Campanha de doações pra ajudar os jovens rapazes que estão internados no Centro de Recuperação de Dependentes Químicos onde meu filho está interno também.Lá tem jovens que chegam só com a roupa do corpo,abandonados pela família. Eles precisam de tudo:roupas masculinas,calçados,sabonetes,toalhas,pasta de dentes,escovas de dentes,de um freezer, Roupas de cama,alimentos. O centro de recuperação sobrevive de doações,são mais de 300 homens internos.Eles merecem uma chance. Quem puder me ajudar pode doar qualquer quantia no Banco do Brasil agência 1257-2 Conta 32882-0

Mariana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.